quarta-feira, 22 de agosto de 2007

Ausência





Sei que, às vezes,
Na minha mansidão
Devo ser completamente louco,
Embora, ser louco,
Para eu, é muito pouco.


Sei que, muitas vezes,
Parece longa a ausência
Do mundo tão alheio.
De permeio não tenha receio.
Desapareço
Como forma de recreio.


Sei que, raras vezes,
Sou suportável.
Agradável é exercitar a solidão
Acompanhada
Estou presente ainda que na estrada.
E quanto mais confio
Mais desapareço.
Tenho mais e muito menos do que mereço.

O encontro da Imagem com a Palavra.

Minha foto
A fotografia interagindo com a poesia...num encontro triunfal.