terça-feira, 27 de fevereiro de 2007

A solidão das Esculturas







Unidas eternamente

numa proximidade tão distante

De barro, areia e água

As esculturas pareciam tão humanas

que tive ímpeto de acariciá-las.

Depois, pensei melhor,

E vi que, como nós dois,

Haviam, na verdade, ali, prisioneiros

eternos

E toda minha ternura foi embora

Com a constatação de que as figuras

Só reproduziam a solidão humana.

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2007

Sol & Lua





EU, SOLZINHO

O sol, em tons de laranja,
Se espraia num beijo vermelho
Sobre o mar.
Eu quis também te amar
Assim com uma incomensurável imensidão,
Mas, ao me espalhar,
Sem ter grandeza
Fiquei pequenininho
Em tuas mãos.



FEITIÇO DA LUA

A gorda lua,
Semi-coberta
Por um escudo negro,
Fingindo que é só uma meia-lua
Nos olha com um olhar
Que tem segredos.
A lua sabe,
Poderosa feiticeira,
Que com o luar nos prepara
surpresas
E, mais ainda,
Que somos presas
Fáceis do encanto e da paixão.
A culpa é dela.
Vem, me dá tua mão.
Não te preocupes
Com o futuro e a ilusão.
O resto virá depois
Com as mudanças da lua
E a vida é bela!

O encontro da Imagem com a Palavra.

Minha foto
A fotografia interagindo com a poesia...num encontro triunfal.