quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Versinhos desprezados



Zombas de meus versos, ò musa insatisfeita,

Sei que não são nenhuma prece

E nenhum deles sei que te merecem

Como frutos ruins que não te apetecem.

Sei que me falta o grande gênio

E que, para cantar tua beleza,

Só os meus anos é que amadurecem

E não melhoram os versos nem a destreza.
Sei que as imagens só te desfiguram

Pela falta de grandeza e a rima impura

Que não fazem jus à nobreza da figura

Que melhores coisas, certamente, inspiras,

Mas, não zombes assim de minha pobre lira

Que somente quis cultuar a soberana

Cujo orgulho, qual a beleza passa,

E quis apenas perpetuar tua graça

Nuns pobres versos ricos de carinho

Que, como eu, só peço um cantinho

Onde possa, do meu jeitinho, te glorificar...

O encontro da Imagem com a Palavra.

Minha foto
A fotografia interagindo com a poesia...num encontro triunfal.