domingo, 10 de abril de 2011

Canção do pequeno detalhe


Todo fim de tarde

Cheio de esperança

Meu coração avança

Até a beira do mar

Na inútil esperança

De te encontrar.

E só encontro

O banco solitário

E a luminária tão apagada

Quanto tua lembrança

Vai ficando

Enquanto saudoso de teu amor

Vou definhando.

A beleza do por do sol

Ainda é a mesma.

As águas e a tranqüilidade

Do lugar

Parecem um convite para amar.

Tudo tão perfeito e maravilhoso

Que é muito mais doloroso

Constatar que não estais aqui.

E, como louco, me ponho a rir

De que teria tudo para ser feliz,

Mas, por ironia,

Nada disto importa

Sem a tua companhia.

É vejo que tudo nada vale

Só por este pequeno detalhe!

O encontro da Imagem com a Palavra.

Minha foto
A fotografia interagindo com a poesia...num encontro triunfal.