quarta-feira, 18 de junho de 2008

Desarrazoado




Talvez não seja o momento.
O momento nunca é.
É só o cometimento,
A ocasião, o sentimento,
Desejo, paixão, o agora, o já, o é.

E nunca houve o havia.
É certo não poderia
Desejar o que desejo,
Mas a importância que vejo
Não está mesmo no beijo
Que é só o gatilho, a explosão.
Melhor que tudo é a ilusão.

A posse, a consumação
É o inicio do fim.
Então ficamos assim:
Eu digo não;
Você, sim.
"Mande lembranças de mim".

quarta-feira, 11 de junho de 2008

O efêmero


É preciso amar o efêmero

Que, no mar do tempo,

Arrasta a caravela da vida.

È preciso amar o efêmero

Porque só há, de fato,

Ele ou a oportunidade perdida.

É preciso amar o efêmero

Porque só nele há

Paixão, gozo e vida.

O encontro da Imagem com a Palavra.

Minha foto
A fotografia interagindo com a poesia...num encontro triunfal.